Conteúdo

O que é marketing de conteúdo e como ter sucesso

Redatora

Quando pensamos em marketing, apenas marketing, imediatamente processamos algo relacionado com propaganda e mercado. É verdade, mas não toda a verdade. O marketing atualmente é a generalização de uma estratégia que visa gerar o interesse de um determinado público por meio de ações – simples ou não – que chamam atenção (de forma positiva, evidentemente). Não se trata mais somente de compra e venda, mas gerar interesse. A compra pode ser o objetivo secundário, implícito. Detalhe, aqui faço referência a marketing digital, não ao tradicional, offline.

Por exemplo:

Aquário

você não vê a necessidade de ter um aquário de peixe na sua casa e nunca pensou nessa possibilidade, mas um dia você passou na frente de um pet shop no qual havia uma placa com a seguinte frase: “Os peixes recolhem o seu estresse e animam o ambiente. Assista ao nosso aquário 3D e sinta-se no paraíso no fundo do mar”. Digamos que você estava com a cabeça cheia por causa do serviço, então resolveu dar uma volta para respirar. Foi justamente nesse momento que viu a placa, digamos que essa não foi a grande solução, mas atingiu diretamente o seu ponto fraco do momento. Sem querer, você sentiu um leve interesse pelo paraíso aquático e pelos peixes 3D. Logo, entrou na loja, olhou alguns cachorrinhos numa pequena jaula de um lado, olhou alguns acessórios, mas foi direto para o setor de peixes. Ali estava, o grande aquário.Havia peixes diversos, um mais bonito que o outro, alguns coloridos, outros mais neutros, mas estavam ali, nadando, tranquilamente, expressando a calma que momentaneamente você gostaria de ter. Parecia estar no fundo do mar. Os peixes eram bonitos, chamativos, o ambiente era agradável, houve um atendimento ótimo, entre outros fatores que, de um modo geral, aquele pequeno anúncio o levou a um momento inesperado. Não foi necessário comprar ou pagar por nada, simplesmente o levou para conhecer a loja. Esse foi o objetivo primário. Se você comprasse algo, seria melhor ainda. Mas conseguiram, eles te agarraram em cheio, e você não conseguiu escapar, contrariamente, você foi atraído facilmente.

PODEMOS ENTENDER, PORTANTO, QUE MARKETING É CRIAR ESTRATÉGIAS PARA GERAR INTERESSE.

Agora, quando juntamos o marketing com conteúdo, o que passa a ser?

Basicamente é gerar no consumidor um sentimento de “quero mais” por meio de conteúdos diversos, textos, fotos, vídeos etc. Se texto, é escrever um artigo que, sem que ele perceba, sinta a necessidade de entrar no site e ver se há algo novo.

Claro que não é um processo simples. Portanto, é necessário alguns pré-requisitos:

1. Se texto, escrever com coerência. Não é necessário ser um expert em pontuações, acentuações, gramática etc., mas é importante ter coerência. Certamente uma vírgula faz toda diferença no que diz respeito a sentido. Veja só esse exemplo básico, e muito comum entre os amigos:

a – Aquela vaca da Josefina que comeu tudo.b – Aquela vaca, da Josefina, que comeu tudo.

Perceba, se você quis dizer que a vaca (animal) pertencente à Josefina foi que comeu o capim todo, então é a segunda opção (b). Mas, se você utilizou o termo vaca num sentido pejorativo, dizendo que a Josefina é uma vaca, então é a primeira opção (a). Para a compreensão do texto, isso foi importante? Sim, mas tudo vai depender do contexto, da coesão geral. Por isso, é essencialmente necessário que o contexto fique bem amarrado com o conteúdo todo, mesmo havendo problemas com acentuações e pontuações.

2. Se imagem, ter olhar (senso) para registrá-las. Muitas vezes as pessoas tiram foto de pratos de comida, roupas, carros, mas infelizmente saem tremidas, com cores opacas e mais passíveis de deboches do que de admiração. Esse tipo de conteúdo não vai pra frente. As pessoas gostam de fotos coloridas, ou pelo menos bem tiradas, interessantes, e mesmo se for um selfie, se for interessante e com algum objetivo, as pessoas vão gostar.

Veja esse selfie de Michele Obama e seu dog Bo. Não é uma grande foto, mas estava dentro do contexto. Ela e o cachorro estavam participando de um projeto da National Geographic de foto de animais. Não foi para vender nada, mas somente para participar e, principalmente, fazer o seu papel como esposa de um dos presidentes mais conhecidos do mundo. Foi marketing de conteúdo.

Michelle-Obama-Bo-Selfie

3. Se vídeo, ter bom senso. O vídeo pode ser amador mesmo, filmado num smartphone, mas, se possível, com qualidade de imagem e som compreensíveis. Hoje em dia, a maioria dos smartphones filma em HD e/ou Full HD e possui um ótimo microfone. Acredito que não há grandes problemas nesse sentido.

O vídeo pode ser informativo, educativo ou uma chamada para visitar algum site, entre outros. Mas lembre-se, dependendo do formato, 30 segundos é o suficiente, é o tempo limite para prender a atenção do usuário, principalmente se for informativo. Se for mais, deve ser dinâmico, não estático, e ter tudo que ver com o contexto. Veja o exemplo abaixo. É de um expert em questões profissionais, empreendedoras etc. Ele anda e fica batendo um papo com o vídeo, como se estivesse conversando conosco. Confira:

Seguindo essas dicas, certamente você terá um retorno – se não o esperado – positivo.

Eduardo Storini
Desde 2009 atuando no mercado de marketing digital brasileiro. Trabalha ativamente no desenvolvimento de novas estratégias para aumento de vendas e captação de leads para os clientes da Agência St.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *